Com 35,9 mil vagas abertas em julho, emprego formal sobe pelo 4º mês seguido


Na parcial de 2017, país já criou 103 mil vagas com carteira assinada. Ministro Ronaldo Nogueira projetou que, entre agosto e novembro, Brasil deve manter abertura de postos.

O Brasil gerou 35.900 vagas formais de emprego em julho deste ano, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta quarta-feira (9).

No mês passado, foram registradas 1.167.770 contratações e 1.131.870 demissões de trabalhadores com carteira assinada.

Esse foi o quarto mês consecutivo com criação de vagas com carteira assinada e a primeira vez, desde 2014, em que as contratações superaram as demissões no mês de julho. Foi o melhor mês de julho em quatro anos.

No mesmo mês de 2015 e do ano passado, respectivamente, foram fechadas 157.905 e 94.724 vagas de trabalho. Em julho de 2014, por sua vez, foram abertas 11.796 empregos com carteira assinada.

Emprego no Brasil
Para meses de julho
Fonte: Ministério do Trabalho
Parcial do ano

No acumulado de janeiro a julho deste ano, ainda de acordo com o governo, foram geradas 103.258 empregos com carteira assinada. No mesmo período do ano passado, o governo informou que foram demitidos 623.520 trabalhadores.

O Ministério do Trabalho não divulgou a série histórica para o resultado dos empregos formais no mesmo período dos anos anteriores.

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, disse acreditar que, entre agosto e novembro, o país voltará a registrar a criação de empregos formais.

“Teremos números bem melhores em agosto. A construção, que estávamos há 33 meses com números negativos, registrou números positivos [abertura de vagas]”, declarou ele.

Nogueira disse que a geração de empregos formais em julho deste ano mostra que o país está no “rumo certo” e que o governo “está tomando as medidas necessárias para colocar novamente o Brasil no rumo do crescimento econômico e da recuperação do emprego.”

Setores

Em julho deste ano, de acordo com o Ministério do Trabalho, cinco setores da economia admitiram trabalhadores. O setor que mais contratou foi a indústria de transformação, com 12.594 vagas abertas.

Neste período, o comércio registrou a abertura de 10.156 empregos com carteira assinada, ao mesmo tempo em que o setor de serviços contratou 7.714 trabalhadores formais. Já a agropecuária registrou a contratração de 7.055 pessoas.

Por outro lado, os chamados “serviços de utilidade pública” ainda registraram resultado negativo, com a demissão de 1.125 trabalhadores com carteira em julho deste ano.

A construção civil, por sua vez, abriu 724 vagas formais no período, enquanto a indústria extrativa mineral demitiu 224 empregados.

Números regionais

Segundo o Ministério do Trabalho, houve o registro de contratações em quatro das cinco regiões do país em julho de 2017.

A região Centro-Oeste foi a que mais abriu vagas formais em julho deste ano, quando 12.211 pessoas foram contratadas. Na região Sudeste, foram criadas 11.764 vagas e, na região Nordeste, outros 6.641 foram contratados.

A região Norte, entretanto, registrou a abertura de 5.346 trabalhadores no mês passado, enquanto a região Sul contabilizou o fechamento de 62 vagas formais.

Fonte: G1

Deixe um comentário